segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

O amor a Deus e o amor ao Próximo.

"E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas." (Mt 22.37-40).

Como cristão, considero esta passagem como o fundamento maior da Bíblia e consequentemente do viver cristão. Afinal de contas "Deus é amor".

"Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." (I Jo 4.7-8).

Quando Jesus deu esses dois mandamentos, estava colocando o "amor" acima de todas as coisas. Pois afirma que "destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas".
Tanto Jesus quanto os judeus de sua época tinham a Tanakh como o centro regulador de suas vidas.
Mas o que é a Tanakh? Trata-se de um acrônimo das palavras Torah, Nebhiim e Khetubhim. Que é a divisão da Bíblia Hebraica.

Torah
a
Nebhiim
a
KHetubhim

Torah é a Lei do Judeus, é composta pelos primeiros cinco livros da Bíblia, o Pentateuco. (Genesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio)

Nebhiim são os chamados profetas na Bíblia. E é composto pelos livros de Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, Isaías, Jeremias, Ezequiel, Oséias, Naum, Joel, Habacuque, Amós, Sofonias, Obadias, Ageu, Jonas, Miquéias, Zacarias e Malaquias.

Khetubhim são os demais escritos. Escritos que não ditam como regras mas que eram usados em ocasiões festivas, como ensinamentos e nos cultos. É composto por Salmos, Provérbios, Jó, Cantares, Rute, Lamentações, Eclesiastes, Ester, Daniel, Esdras/Neemias e Crônicas.

Enfim, a primeira e segunda partes da Bíblia Hebraica (Torah e Nebhiim), Lei e Profetas, respectivamente compreendiam o que há de mais importante no conteúdo da Bíblia Hebraica. Entretanto, com frequencia os demais Escritos (Khetubhim), poderiam estar incluso nos profetas. O que poderia ser o caso de Jesus quando falou que "a Lei e os Profetas" dependem dos mandamentos do amor.

Desta maneira, Jesus submeteu o que havia de mais importante para um judeu ao amor. O amor a Deus e o amor a próximo. E assim devemos viver nossas vidas, baseada no amor.

Ricardo Reksidler

2 comentários:

  1. Coisa que não damos valor.

    O que seria esta coisa a qual não damos valor.
    A explicação é bem simples, existe um Deus único o qual somos dependentes. Dizem os que acreditam que ele nos protege, nos orienta e nos encaminha pela vida. A maioria acha que estando com Deus não necessita de mais nada, tudo está resolvido.
    Fazendo minhas reflexões cheguei á seguinte conclusão existe uma coisa superimportante que nos ajudam a viver, as quais somos seus dependentes. Atentem para isso, nós seres humanos não podemos viver nossas vidas sem a presença dos nossos semelhantes, pois ninguém se basta a si mesmo. Nós sempre estaremos dependendo uns dos outros, isso é facilmente entendível. Só que nós não damos o devido valor ao nosso próximo, se esquecendo o que ele representa para nossa sobrevivência. Eu poderia enumerar aqui, quem precisa de quem, mas isso é desnecessário, pois todos sabem qual o tamanho da importância dos nossos semelhantes. Salvo as raras e honrosas exceções, nós não conseguimos dar-lhes o valor merecido porque somos impedidos pelo nosso egoísmo. Hipocrisia, falsidade, individualismo, maledicência e muitos outros defeitos os quais são heranças malditas enraizadas no nosso intimo. Nós humanos principalmente os religiosos Dão uma tremenda importância a Deus e se esquecem que nossos semelhantes são nossos irmãos, portanto são filhos de Deus e merecem o mesmo tratamento, nós não podemos tratar bem o pai e esquecer dos seus filhos. Vamos gente: vamos distribuir melhor nossa atenção, nosso amor e nossa solidariedade.
    Sendo assim os que adoram a Deus sobre todas as coisas, procure amar o seu próximo como a ti mesmo, de verdade não da boca para fora com falsidade, sobretudo, dar-lhe a importância merecida, pois ele é tão importante quanto Deus. Se nós ficarmos isolados neste planeta nem Deus poderá nos salvar. A vida só é possível quando estivermos vivendo em grupos, tribos, comunidades ou nações, não há como viver isoladamente.
    Paulo Luiz Mendonça.

    ResponderExcluir
  2. Amar a Deus sobre todas as coisas

    Amar a Deus sobre todas as coisas e o seu semelhante como a ti mesmo. Esta frase é muito interessante, todos aprovam, batem palmas, acham á maravilhosa. Tudo parece muito fácil, mas não é. Amar a Deus não há nenhuma dificuldade, porque Deus é um ente imaginário e subjetivo, portanto não tendo presença física, não se pode vê-lo, nem tocá-lo, nem se pode invejá-lo e nem há possibilidade de disputar nada com seu poder. Mas quando se trata de amar o nosso semelhante ai a coisas pega, fica difícil, para não dizer impossível. Alguém já parou para pensar nesta frase e seus efeitos negativos, porque negativos, porque está claro o que é destacado nisso é nossa hipocrisia. Se perguntarmos a todos os seres humanos principalmente os religiosos se eles amam a Deus a Resposta será bem clara, amamos de todo coração, se perguntarmos aos mesmos indivíduos vocês amam seus semelhantes como a ti mesmo, se for uma resposta sincera, a mesma será, depende de qual semelhante. A frase em foco é muito interessante, mas se tratando de seres humanos ela jamais será aplicada ao pé da letra, salvo as pouquíssimas e honrosas exceções.
    A hipocrisia assola por todo planeta terra, principalmente os que se dizem cristãos, os quais se mostram tão felizes de seguir a cristo, mas não seguir seus ensinamentos ao pé da letra, porque isso fica difícil para não dizer impossível.
    Podemos ser religiosos. Mas sem muita euforia, devemos ter um pouco mais de humildade, um pouco mais de amor ao próximo e, sobretudo saber que ninguém será salvo só porque segue uma religião. Só serão salvos aqueles que levarem uma vida digna, honesta, sobretudo ter pureza de coração, deixando de lado o orgulho, a ganância e a hipocrisia. Paulo Luiz Mendonça.

    Coisa que não damos valor.

    ResponderExcluir