terça-feira, 30 de junho de 2009

Autoridade

O dicionário Aurélio define "autoridade" como: "1.Direito ou poder de se fazer obedecer, de dar ordens, de tomar decisões, de agir, etc. 2. Aquele que tem tal direito ou poder. [...] 5. Poder atribuído a alguém; domínio. 6. Influência, prestígio, crédito. [...]."
Define "autoritário" como: "1.Relativo a autoridade. 2. Que se baseia na autoridade, despótico. 3. Que procura impor-se pela autoridade. 4. Altivo, impositivo, dominador, arrogante. 5.Impetuoso, violento, impulsivo."
Define "líder" como: "1. Indivíduo que chefia, comanda e/ou orienta, em qualquer tipo de ação, empresa ou linha de idéias. 2.Guia, chefe ou condutor que representa um grupo, uma corrente de opinião, etc. [...]."
E por fim, define "liderança" como: "1. Função de líder. 2.Capacidade de liderar, espírito de chefia. 3.Forma de dominação baseada no prestígio pessoal e aceita pelos dirigidos".

É comum pessoas confundirem os termos acima citados, autoridade, autoritário, líder e liderança. Como pode-se perceber a autoridade é um direito, um poder, algo conquistado ou atribuído a alguém. Autoritário, líder e liderança, pelo contrário, são características intrínseca à pessoa, que possue alguma autoridade ou não.

Vamos nos ater aos sacerdotes, padres, pastores, etc... Com freqüência as igrejas, em especial as históricas e estruturadas, exigem dos postulantes às sagradas ordens um curso de teologia e demonstre algum trabalho na igreja. Aprovado nesses quesitos o indivíduo, mediante uma avaliação e cerimônia especial recebe o título almejado. Ou seja, torna-se uma autoridade na igreja ou até mesmo fora dela.

Mas há aqui um grande problema, nem toda autoridade é um líder. Assim como nem todo líder é uma autoridade. Líderes normalmente são pessoas carismáticas, e seus seguidores, como visto no Aurélio, reconhecem sua liderança e a aceitam. Já as autoridades, são pessoas oficialmente reconhecidas como tal.

Autoridades muitas vezes se perdem no autoritarismo. Desejam ser respeitados pelo "título" que carrega, que obteve em certo período de sua vida. Líderes são voluntariamente respeitados pelos seus seguidores em função de sua liderança.

Vamos assim classificar:

1-Autoridade Autoritário
2-Autoridade Líder
3-Líder

O primeiro é uma autoridade reconhecida e suas ações são opressivas. O segundo é uma autoridade reconhecida e carismática. O terceiro não possui autoridade reconhecida, mas consegue seguidores pelo seu carisma. Já um líder autoritário definiria como contraditório.

E as igrejas possuem estes três representantes. E o que se vê nas igrejas que mais crescem no Brasil, é que seus dirigentes são líderes, e agem como tal, embora possuam a autoridade de padre ou pastor. Já outras igrejas, normalmente as que não crescem ou mesmo decrescem, apresentam uma autoridade a sua frente, não líderes ou autoritários.

Certo dia ouvi de um reverendo que exigia que o respeitassem dentro da igreja, porque ele é a autoridade naquele lugar. O que dizer disto? Que ele é a autoridade daquela igreja não se nega, por uma questão moral-social não se desrespeita o indivíduo, mas... "exigir respeito"??? Defini como uma atitude autoritária. Embora fosse a autoridade daquele lugar, e de fato deva ser respeitado, não deveria usar-se de seu "título" para ser respeitado. Lembrando que o dicionário Aurélio define autoritarismo como aquele que procura impor-se pela autoridade.

Muitos dizem, que se Cristo viesse hoje, o crucificaríamos novamente. Cristo não era autoridade, embora muitos digam que ele era Rabi, um mestre, portanto uma autoridade, mas são apenas indícios daquilo que o Novo Testamento não fala claramente. Não vemos Cristo oficiando em sinagogas. Enfim, sendo autoridade ou não, o que se percebe claramente é que Cristo era um Líder. E é do que as pessoas precisam... de líderes.

Mas nas igrejas encontramos muitas autoridades, poucos líderes e muito autoritarismo. Inveja dos líderes nascem nos corações dos autoritários que hasteiam como bandeiras seus "títulos de autoridade": padre, pastor, reverendo, bispo, apóstolo, mestre, doutor, etc...

A autoridade é algo perigoso. Nem todos são aptos a serem autoridade. Vemos isso nos mais diversos setores da sociedade, polícia, presidente, governadores, deputados, prefeitos, síndicos, chefes, patrões, etc... Mas sem fugir do meio eclesiástico, o perigo da autoridade ronda inclusive entre membros de uma igreja. O livro Autoridade Espiritual de Watchman Nee, foi um livro que vendeu muito, mas trouxe repercussões negativas dentro das igrejas, pois muitas pessoas não sabem lidar com a autoridade, mesmo que a "espiritual" "concedida por Deus", pois tornam-se arrogantes, prepotentes, autoritários, altivos, impositivos, etc... Já outro livro, O Estilo de Liderança de Jesus, de Michael Youssef, não foi um livro de sucesso em vendas, mas traz grandes ensinamentos.

Não quero com esse texto me opor à autoridade. Ela deve existir e ser respeitada, mas toda autoridade deve ser revestida de liderança e não de autoritarismo. Quero também alertar sobre as inversões de valores, quando almejamos em demasia certos cargos como pastor, padre, reverendo, bispo, ou, vereador, deputado, prefeito, juiz, oficial de justiça, chefe, doutor, etc...
Para que queremos esses títulos? Para termos prestígios? Para terem reconhecimento dos outros? Para ganhar mais e se sentir mais? Para ser mais do que os outros? Um autoritário?
uu
Almejamos cargos para melhor servirmos a todos? Para fazer um mundo melhor e mais justo? Um líder?

Analise-se e veja se desejas ser reconhecido como um líder ou um autoritário.

Ricardo Reksidler

Nenhum comentário:

Postar um comentário